.
  
       

 





   

 
 

 
 
 
 


Quando nos referimos
sobre “as astutas ciladas do diabo”,
e também sobre “os seus laços e ardis”,
devemos estar cientes
de que o diabo:


1º) perdeu seu lugar e lugar privilegiado;

2º) está disposto a destruir os filhos e as criaturas de Deus;

3º) evoluiu dentro do sistema chamado mundo, e suas estratégias passaram muito além do campo da enfermidade, opressão ou perseguição.

Vejamos, portanto, com base em Efésios 6: 11-12, quais as estratégias ou meios que o diabo utiliza contra a igreja em nossos dias, conhecendo quais são suas astutas ciladas hoje.



A ansiedade

A ansiedade é uma das armas modernas de destruição da personalidade e das famílias. É marcada por um desejo de realização acelerado. A ansiedade manifesta-se na impaciência, sensação aflitiva, precipitação interior.

- Está presente nos relacionamentos pessoais, na área afetiva. Jovens que se predispõem a casar-se sem ter certeza de seus sentimentos.

- No setor de trabalho, não esperar a hora certa da promoção. Ansiar por recompensas antecipadas de um trabalho ainda não realizado.

- Nos negócios, comprar precipitadamente e endividar-se por estar muito ansioso. Vender por preço muito baixo aquilo que se adquiriu com tanto esforço.

Essas e outras falhas das mais variadas são atribuídas à ansiedade, que é uma das armas para a destruição do homem. Devemos esperar em Deus, em oração, confiar no seu cuidado, para não cairmos no laço da ANSIEDADE que leva o cristão a tomar atitudes precipitadas. Antídoto: Sl 40: 1, 2Pe 3: 9 e Fp 4: 6-7.


A insatisfação

A insatisfação é o vazio presente nalgumas áreas da vida pessoal ou comunitária, gerando predisposição a não gostar de nada do que ocorre e não aceitar fatos bons ou ruins.

- Muitos cristãos têm dado lugar ao diabo. Nada os preenche mais. E, de maneira tola, dão as mãos para pessoas como Datã, Coré, e Abirão, como em Números 16, os quais estavam sempre descontentes e acabaram tragados pela terra. Vigie para que sua alma não seja tragada por atitudes semelhantes.

- “Se o grão de trigo não morrer, não pode dar fruto”.  Seu “EU” ou “EGO” deve morrer para que dê a vida a outros e você mesmo a tenha ricamente, Jo 12: 24.

- O antídoto é a gratidão: Veja quanto Deus lhe tem concedido e seja grato, Sl 150.

- Isto atinge todas as áreas da vida humana: em casa, no trabalho, nas viagens, na igreja. Hoje, há muitas pessoas insatisfeitas e murmuradoras. Sim, inclusive na Igreja! Nada pior que um indivíduo azedo, sempre do contra. Faça o inverso, pare de reclamar, seja grato, louve, adore e agradeça ao Senhor.

Avalie o que é melhor e mais louvável no reino: servir ou ser servido? A satisfação está no servir. Antídoto: Sl 92: 1, Fp 4: 11-12, Cl 4: 17. Louvar, orar e fazer tudo para Jesus.


A carência afetiva

A carência afetiva é marcada pela ausência de um relacionamento carinhoso, meigo, no presente ou no passado. A pessoa assim tratada se sente ferida, tem desejos de ser amada, valorizada em seus sentimentos.

- Nem todos, mas muitos casos de adultério são provenientes, nascidos, concebidos na carência efetiva.

- Os jovens e as jovens que  caem nesse “laço” não percebem e saem da igreja para satisfazer esta falta, acabam sucumbindo-se diante do poderio do pecado.

- Por que Milca, filha de Saul, o rei, teria ficado em casa e não estava na comitiva que trazia a arca? Por que o desprezo dela, vendo e participando da alegria de Davi? Por que estava contrariada, vendo que o seu marido “pulava” de alegria? Não estaria ela descontente por causa de uma carência afetiva não curada? Será que o rei Davi cuidava melhor do reino que do seu casamento e da sua esposa? 2Sm 6: 16. Sim, depois Davi caiu com Batseba. Podemos até supor que Milca tenha se fechado, magoada, triste e rancorosa para com Davi e isso talvez tenha aberto para ele a porta para a primeira mulher que estivesse, na visão de Davi, ao seu alcance, 2Sm 11: 2. 

Antídotos: a) Para os solteiros - Expor para Deus a sua necessidade e buscar ajuda de alguém que seja um constante intercessor e orientador, Fp 4: 19; b) Para os casados: conversar com o cônjuge sobre suas carências e desejos, orar para que ambos sempre se comuniquem e sejam humildes em confessar suas necessidades. Se necessário, busquem conselho com alguém nessa área e creiam que há, sim, pessoas confiáveis e ajudadoras.


O materialismo

O materialismo é a busca constante do ter, possuir, adquirir, acumular, usufruir os bens, viver em prol do dia-a-dia, sufocando inconscientemente o desejo da espiritualidade latente no homem. A corrida materialista desenfreada de nossos dias coloca de lado o espiritualismo sob a ideia errada de que os bens preenchem a alma.

- Falo para os cristãos renovados, ciente de que muitos podem se achar dentro desse laço e talvez queiram “Ganhar o mundo todo”, esquecendo-se de que podem, nesse “ganhar”, perder a sua alma.

- Sou filho do Rei! Ouço muitos dizerem. Concordo, mas lembro que o reino do nosso Rei começa com “justiça, paz e alegria no Espírito”, Rm 14: 17, e que não é comida nem bebida. Em resumo: não é em si a matéria. Disse Jesus: “meu reino não é deste mundo”.

E além de ser filho do rei, sou “servo”. Não estou dizendo que você não pode ser próspero, ser rico, não! Você pode ser “mordomo” de grandes e pequenas quantias. Malaquias me lembra agora que “quem é fiel no pouco terá sobre si o derramar de bênção tal que advenha maior abastança”.

Os bens materiais vêm naturalmente na vida do cristão. Não há necessidade de se jogar sem salva-vidas no mar do consumo e submergir nas ondas das dívidas e juros traiçoeiros; prosperidade não se busca só na área material, mas sobretudo no poder e na graça de Deus.
 

Antídoto

Buscar em primeiro lugar o reino de Deus, Mt 6: 33. Tudo provém dele e deve ser para ele. Você é cristão por SER ou por TER?

Avalie com cuidado as colocações destes tópicos e veja se você não está ainda nesses laços modernos do inimigo. Ele é astuto! Se você perceber qualquer fraqueza, clame ao Senhor, pule fora! E ajude outros a vencer. O caminho para a vitória é a oração, a leitura atenta da Palavra, a comunhão com o Senhor.

.................................

Fonte: Jornal Aleluia de julho de 2003
 

 

 
 
 O que você gostaria de fazer?    
 
 

Direitos autorais

Este artigo pode ser reproduzido livremente
para fins pessoais, sendo, porém, vedada sua publicação
sem autorização formal da Editora Aleluia.

 
   Comentários dos leitores  
De Edileuza Sucupira
Igreja Batista Betel
São Cristóvão, SE

Foi muito importante me aprofundar nesse estudo. Deus o abençoe.

De Miriam Firmino
Igreja Pentecostal Adoradores de Deus
Fortaleza, CE

Gostei muito do artigo, aprendi muito e vi que devemos estar sempre alerta, pois o diabo aproveita toda e qualquer brecha para entrar e fazer a destruição. Mas, se estivermos ligados e corretos na presença do Senhor, e buscarmos em Jesus o perdão para nossas falhas, arrependendo-nos verdadeiramente, o Senhor Jesus nos fortalece para continuarmos a batalha e sermos vencedores.

Do Pr. Ramsés de Azevedo
Igreja Presbiteriana Renovada Central
Sorocaba, SP

Quero parabenizar o Pr. Carlos Otávio pelo brilhante artigo, muito atual, ele pode ser um antídoto, para o leitor, visto que muitas ovelhas são pastoreadas pelo rádio, TV, e etc, e por seus pastores, quando dá pra vir à igreja. Por isso temos vivido um tempo de tantas dúvidas teológicas. Há gente declarando, tomando posse, mas seguindo princípios errados. Parabéns.

Do Pr. Alexander Ramos de Oliveira
IPR de Vila Liviero
São Paulo, SP

Muito pertinente aos nossos dias quanto nos dias do escrito! Fico feliz com reflexões como esta que nos confrontam quanto cristãos em estilo de vida e como pregoeiros da verdade, avaliando nosso teor de Cristianismo e intenção ministerial. Seja louvado o nome do Senhor! A isto, Jesus nos convida:"...vinde a mim todos que estais cansados e oprimidos (com os cuidados desta vida), eu vos aliviarei".

De Miriam Borges
Igreja Evangélica Apostólica Aliança
Marialva, PR

Excelente matéria. Todo cuidado é pouco com esse estrategista e que os cristãos fiquem ligados porque as artimanhas dele são sutis e a cada dia de roupagem nova. Vigiar em todo tempo não faz mal a ninguém.

Do Pr. Héverton Luiz Bacha
Igreja Presbiteriana Renovada
Borda da Mata, MG

Parabéns, pastor, pela meditação. É a pura verdade, ele não desiste, pois há muitos crentes ainda íntimos dele. Muitos o chamam até de diabinho. Entretanto, não podemos ter nenhum tipo de intimidade com ele. Vamos buscar mais o Senhor que é o ensino desta tão ilustre palavra.

Do Pr. Alessandro Silva
1ª Igreja Presbiteriana Renovada
Barueri, SP

Este artigo retrata nossa época, pois vemos essas armadilhas do nosso inimigo amarrando muitas vidas atualmente. Que Deus nos dê ferramentas para vencer. Parabéns, pastor, pelo artigo.


Do Pr. Luciano Batista da Cunha
Igreja do Evangelho Quadrangular
Rio Grande, RS

Muito boa a mensagem passada pelo texto, mas acredito que um casal não deve orar apenas para que um seja sincero para com o outro. Cada cônjuge deve orar para mudar no outro o que estiver errado, e pedir para mudar o que estiver errado em si. O propósito da união é os dois tornarem-se um e separarem-se apenas pela morte. Quando falamos apenas sobre nossas necessidades, mesmo sinceros, estamos olhando mais para nós do que para o outro e acabamos caindo novamente no erro.
 

Do Pr. Josenildo Gomes dos Santos
Igreja Batista Missionária Vida em Cristo
Salvador, BA

Tenho passeado pelos muitos cômodos desta "casa" virtual e estão de parabéns pela completude do site muito bem concatenado. Quanto ao artigo supra, é simplesmente fantástico pela sua relevância contextual e o nobre colega se deixou ser guiado pelo Espírito para nos despertar para esta realidade que é latente, porém ainda ignorada por muitos que infelizmente corroboram no que diz respeito ao conteúdo das suas preleções com o inimigo, para que esse aflija ainda mais aqueles que os escutam. Continuemos na doce paz do nosso SENHOR.

De F. Francisco
IPDA
Sobral - CE

A guerra espiritual que vivemos hoje deve ser combatida com convicção de vida eterna: "Eu sei que meu Redentor vive"... Estas palavras de Jó quebram todas as armas do diabo, a certeza do que você espera e quer. Crê somente.
 

De Ailza Maria Rodrigues Gusmão
IPR de Medina
Medina, MG

Adorei este artigo. É realmente o que vem acontecendo. As pessoas pensam mais no próprio bem-estar social do que no espiritual. As pessoas vivem insatisfeitas, ansiosas, e se esquecem de buscar primeiro o reino de Deus.

De Hosana Gomes de Souza
Igr. Ministério Nova Vida
Duque de Caxias, RJ

Excelente texto! Este site tem sido pra mim uma bênção diária! Este texto em particular me alertou, porque de mansinho o diabo tem-se manifestado no meio do povo de Deus, e ficamos sem compreender certas atitudes. Mas depois de ter lido este texto compreendo que buscar o conhecimento da Palavra nos dá sabedoria e sustentação nestes últimos momentos da igreja na terra!


De Luís Carlos dos Santos
Igr. Assembleia de Deus
Rio Grande da Serra, SP

Excelente! Serviu de muita valia para minha edificação espiritual!
 

De Adriana Oliveira
Ministério Apascentar
Rio de Janeiro, RJ

Caro irmão, não quero que tome estas palavras como uma crítica ao seu artigo. Quero somente compartilhar ou, quem sabe, ampliar o leque de informações sobre a grande verdade que tem transformado milhões de vidas, que são as novas armas que o diabo vem usando. As armas que o diabo usa hoje são: o medo, o orgulho, a vaidade, os maus sentimentos, os maus propósitos, as meias verdades (sofismas), e até a religião que tem conseguido enganar a muitos, os vícios da internet, os compradores compulsivos (que se tornam em maus pagadores), os ciúmes, a carência afetiva, o adultério, o desânimo e assim por diante.

Página atualizada em 05/06/2016