“Ouvi, Senhor, a tua palavra e temi:
aviva, ó Senhor, a tua obra  no meio dos anos,
no meio dos anos a notifica: na ira
lembra-te da misericórdia”.

                                                    
Habacuque 3: 2

 

 Avivamento consiste no grande desafio e carência da igreja nos dias de hoje. Gosto de pregar este tipo de mensagem, porque é por meio dela que as igrejas se renovam e são despertadas para o trabalho de evangelização e ganham um interesse maior pela busca do poder do Espírito Santo. Expulsar demônios é bíblico e o ministério de libertação é maravilhoso. No entanto, Deus tem me chamado para pregar a mensagem de avivamento.

Esta mensagem precisa ser pregada com mais frequência em nossas igrejas. Tenho feito isto onde tenho pregado e as igrejas têm adquirido profundas experiências com Deus, tais como: renovação de vidas, batismo com o Espírito Santo, distribuição de dons espirituais pelo Espírito Santo e restauração de vidas. O meu discurso é o mesmo do profeta Habacuque: “Aviva, ó Senhor, a Tua obra...” .

O clamor por um avivamento foi a tônica de sua mensagem. Diz o texto que a palavra trouxe-lhe temor e, como resultado desta atitude, ecoou do profundo do seu coração o clamor por um derramar do Espírito sobre a nação de Israel, que precisava, urgentemente, ser despertada e voltar-se inteiramente para Deus. E isto só viria a acontecer caso houvesse um mover de Deus: o avivamento.   

Portanto, somos pelo avivamento. O presidente da IPRB, pastor Advanir Alves Ferreira, lançou na última Assembléia o desafio para os próximos três anos de nossa administração: ‘reavivamento e crescimento da Igreja’. Estamos crendo que Deus vai envolver esta igreja em uma grande nuvem e virá abundante chuva de avivamento. Vamos, incessantemente, buscar esta bênção.

Diante disso, quero, nesta oportunidade, fazer algumas colocações sobre alguns significados do avivamento de Deus para o seu povo.


Despertar-se do sono

Comecemos por esta afirmativa fundamental: avivar-se significa despertar-se do sono da frieza espiritual. O profeta pediu avivamento porque Israel precisava acordar. Seus líderes estavam dormindo o sono do comodismo e da inércia espiritual. Ele sabia que o povo havia pecado e, consequentemente, seria julgado e condenado. E, por isso, pede para que Deus apareça entre o povo com uma nova manifestação de poder, por meio de sua graça e de seu Espírito. Somente assim eles seriam perdoados e salvos.

O apóstolo Paulo, escrevendo aos crentes de Roma, exorta-os dizendo: “...é hora de despertamos do sono, porque a nossa salvação está, agora, mais perto de nós do que quando aceitamos a fé”, Rm 13: 11. Quer dizer: ele apela aos cristãos e os desafia a uma vida cristã ativa e de trabalho cristão. No verso 12, quando diz que “a noite é passada e o dia é chegado”, cria na volta iminente de Jesus um fator motivador para permanecermos acordados na vida cristã: Jesus está vivo e vai voltar para buscar a igreja.  

À semelhança do profeta Jonas que, em razão de sua desobediência a Deus, dormia um profundo sono no porão do navio, Jn 1: 5, muitos estão fugindo da presença do Senhor e estão dormindo espiritualmente nos porões da tristeza, da frieza espiritual, da negligência, do comodismo e da desobediência. A estes, a Palavra de Deus está dizendo todos os dias: “Desperta, ó tu que dormes, e levanta-te dentre os mortos, e Cristo te esclarecerá”, Ef  5: 14.     


Atitudes de protesto

O grito de protesto do profeta Habacuque por um avivamento está marcado neste texto por sua coragem ou destemor ao dizer com fé: “Aviva, ó Senhor, a Tua obra”. O profeta estava reclamando contra todas as atitudes erradas de sua nação. O mau comportamento desse povo era uma afronta ao verdadeiro Deus. E, com temor no coração, ao ouvir a Sua palavra, o profeta não vê outra alternativa a não ser um real avivamento para varrer do meio do povo todo pecado.   

Os dias atuais são difíceis e tenebrosos, porque o mundo jaz no maligno, Jo. 5: 9. Não dá pra ser crente frio e conformista, Rm 12: 2. Precisamos protestar contra a frieza espiritual que procura assolar a igreja de Jesus na terra. A Igreja Presbiteriana Renovada nasceu no fogo do Espírito Santo. Ela é fruto de avivamento. E o fogo santo queima pecado, mundanismo e todo tipo de atitude inconveniente que queira impedir o avanço da obra de Deus.

Não podemos ficar calados. Se assim o fizermos, diz a Bíblia que as pedras clamarão, Lc 19: 40. A ordem bíblica é protestar contra as atitudes do nosso adversário com a autêntica proclamação do evangelho. Este protesto precisa ser imperativo e contextualizado, pois o próprio Jesus disse: “Ide por todo o mundo e pregai o evangelho a toda criatura”, Mt. 16: 15. A Palavra de Deus afirma que não há tempo a perder: “Convém que eu faça as obras daquele que me enviou, enquanto é dia; a noite vem, quando ninguém pode trabalhar”, Jo 9: 4.

Para protestar contra o pecado não é preciso sair às ruas com faixas e bandeiras, mas é possível fazer isto em oração, em consagração e jejum a Deus. A atitude de protesto da igreja pode ser demonstrada por de meio da qualidade de vida cristã, isto é, uma vida ordeira e orientada pela Bíblia Sagrada.   


Comprometimento com o reino

Em sua oração, o profeta roga a Deus para que, nos tempos de aflição e angústia, a sua misericórdia seja lembrada, porque sem ela o povo iria perecer no pecado. A compaixão divina era a porta de retorno a uma vida de reconciliação e, posteriormente, reafirmação de um autêntico compromisso cristão. E está claro nas palavras do profeta que o avivamento traçaria este caminho e o poder de Deus levaria o povo à conscientização e tomada de uma posição coerente com os princípios de Deus.  

Costumo dizer que vida cristã traduz-se por comprometimento com o Reino de Deus; viver o que cremos e pregamos e uma volta aos dias da Reforma e aos ensinos do livro de Atos. É também vida no Espírito, Gl 5: 25; vida frutífera, Jo 10: 10 e 15: 5 e vida de serviço ao Reino de Deus. Jesus disse que ninguém que lança mão do arado e olha para trás é apto para o Reino de Deus, Lc 9: 62. Crente avivado tem como prioridade pensar nas cousas que são lá do alto, Cl 3: 2.

Aprendemos pela Bíblia que vida com Deus é vida plena de submissão e fidelidade a Ele. O crente comprometido com as coisas espirituais não tem tempo para aquilo que não é de Deus, porque o fogo do Espírito Santo está constantemente aceso em seu altar (sua vida). Jesus disse que quem quiser ir para o céu deve tomar a sua cruz e segui-lo a cada dia, Lc 9: 23. Somente uma vida avivada e cheia do Espírito Santo poderá suportar as provações e as tentações deste mundo.

Jesus é o maior exemplo de vida comprometida com o Reino de Deus. Quando estava sendo julgado, afirmou com convicção: “.O meu Reino não é deste mundo...”, Jo 18: 36. De fato, a igreja precisa estar ciente de que a sua tarefa neste mundo é ser sal da terra e luz do mundo, e que ela está no mundo, mas a ele não pertence: “Não peço que os tire do mundo, mas que os livres do mal”, Jo  17: 15.

Que a oração do profeta Habacuque seja a constante oração da igreja, e que a frase “Aviva, ó Senhor, a tua obra...” não seja apenas o lema da IPRB, mas o lema de vida daquele ou daquela que quer viver uma vida cristã autêntica, até a volta de Jesus.  

........................

Fonte: Jornal Aleluia de maio de 2002.

 
 
 O que você gostaria de fazer?    
 
 

Direitos autorais

Este artigo pode ser reproduzido livremente
para fins pessoais, sendo, porém, vedada sua publicação
sem autorização formal da Editora Aleluia.

 
 
   Comentários dos leitores
Do presb. Edilson Neves Batista
Igreja Presbiteriana Renovada
Jardim Imperial
São José dos Campos - SP

Ótimo artigo. Realmente estamos precisando de um avivamento genuíno do Senhor. Oremos como Habacuque, rogando a Deus para avivar sua obra.
 

Da Pra. Rosângela F. Lopes Corcelli
Igreja Assembleia de Deus
Goiânia, GO

Gostei muito deste artigo. Realmente as igrejas estão mesmo precisando de ser avivadas e  não desertar para a realidade dos fatos do dia-a-dia. Vidas estão sendo ceifadas pelo maligno e muitas igrejas não têm feito nada. É hora de viver o verdadeiro avivamento, resgatar essas vidas da mão do adversário através da oração, jejum, consagração e evangelização.
 

De Denis Farias
Igreja Assembleia de Deus
São Gonçalo do Amarante - CE

Gostei muito de seu artigo, pois precisamos sempre desse avivamento em nossas vidas, porque o povo de DEUS está no sono sem perceber que JESUS está voltado. Ele busca o povo avivado pelo Espírito Santo. Que DEUS o abençoe, em nome de Jesus de Nazaré.
 

De George Mário
Compositor
Niterói, RJ

Adorei este artigo. Mais esclarecedor impossível. É hora de nos posicionarmos e realmente nos "avivarmos", eis que ele está
prestes a chegar. Parabéns!

 

De Adrilaine Correa
Igr. do Evangelho Quadrangular
São José do Rio Preto, SP

Paz! me permita de somente corrigir um erro deste artigo.
No parágrafo sobre Atitude de Protesto, houve uma troca de livros! Ide por todo mundo e pregai o evangelho... está no endereço de Marcos 16:15 e não em Mateus! O artigo é muito bom. 

 

Do Ev. José Carlos Benedito
Caçapava, SP

Ótima palavra do pastor Anairton. O pastor Abel Amaral, nosso patriarca, nos deixou bem clara a mensagem da igreja renovada. Cabe a nós combatermos todo desvio dessa linha. Avivamento é renúncia de uma vida de pecado! "Aviva, ó Senhor, a tua obra!" deve ser o nosso clamor.


Do Pr. Elomar Procópio de Souza
IPR do Bairro Alto
Curitiba - PR

Este artigo do pastor Anairton é muito próprio para os dias de hoje. Realmente precisamos desse despertamento para nosso ministério. Pastor, traga mais material sobre esse assunto.

 

Igreja Presbiteriana Renovada do Brasil - Fones (44) 3262-8332 ou 3262-9438 - Cx. Postal 504 - 87001-970 - Maringá, PR - Brasil.