Estamos iniciando, com a graça
e a permissão de Deus, mais um triênio
de atividades à frente da IPRB.

Considerando que a Diretoria Administrativa
estará reunida no mês de março
para um amplo diálogo sobre as perspectivas
de crescimento da Igreja Renovada,
seria oportuno refletirmos
um pouco sobre o que vem a ser
o crescimento integral da Igreja
já que esse será o objetivo principal
de nossas atividades neste período.

 

Os primeiros capítulos do livro de Atos registram o começo e a expansão da Igreja Primitiva, a partir da cidade de Jerusalém. Os discípulos, após receberem o Espírito Santo, começam a pregar com ousadia a Palavra de Deus. Como resultado desse ato, a Igreja foi caindo na graça do povo e o número dos salvos foi crescendo diariamente, Atos 2: 27.

Um fator importante a ser considerado na expansão (crescimento) dessa Igreja é que ela apresentava um Crescimento Integral, ou global. Ela crescia em todos os aspectos. Segundo Orlando E. Costas, teólogo porto-riquenho, o crescimento de uma igreja poderá ser medido por quatro dimensões que advêm de sua realidade como comunidade de fé. Essas dimensões determinam o Crescimento Integral.
 

Crescimento orgânico

O crescimento orgânico da Igreja compreende aspectos internos no desenvolvimento de suas atividades, relacionados à sua forma de governo, sua estrutura financeira, sua liderança, o tipo de atividades em que investe seu tempo e recursos, e sua celebração cultual. Todos estes fatores formam um conjunto orgânico que dá sustentação ao crescimento. Esta verdade podia ser vista nessa igreja, que aprendeu bem cedo, logo em seus primeiros passos, a adquirir uma identidade própria.

Dentre os diversos aspectos internos que determinavam o crescimento orgânico dessa igreja - a formação de uma liderança forte e madura e outros mais - destacava-se a comunhão entre os irmãos: "E perseveravam unânimes no templo, partiam o pão de casa em casa". Perceba o leitor que eles estavam sempre juntos, At 2: 44-46. Portanto, "ensino, comunhão à mesa, adoração e oração são necessárias para uma nova igreja, a fim de estabelecer identidade, confiança e fidelidade à missão". Veremos mais que o crescimento orgânico da Igreja Primitiva resultou na evangelização e salvação de milhares vidas naqueles dias.

Este é um dos aspectos de crescimento que é um grande desafio para as IPRs. É preciso valorizar a nossa forma de governo que, apesar de não ser perfeita, procura dar estabilidade aos pastores e membros. Por outro lado, é preciso, também, unificar nossa maneira de adoração e celebração ao Senhor (cultos), criar lideranças maduras e, ao mesmo tempo, investir em atividades espirituais que dêem aos membros condições de crescimento espiritual. A IPRB precisa ser um organismo vivo, sadio e ativo.
 

Crescimento diaconal

O crescimento diaconal também pode ser chamado de encarnacional. Esta dimensão abrange aspectos internos-externos, gerando um crescimento saudável da igreja. Este crescimento é visto como "a intensidade do serviço que a igreja presta ao mundo, como prova concreta do amor de Deus. Esta dimensão envolve o impacto que o ministério reconciliador da igreja exerce sobre o mundo, o seu grau de participação na vida, conflitos, temores e esperanças da sociedade e à medida em que seu serviço ajuda e alivia a dor humana a transformar as condições sociais que têm condenado milhões de homens, mulheres e crianças à pobreza".

Sem esta característica (serviço) a igreja perde sua autenticidade e credibilidade como agência do Reino de Deus neste mundo, pois "somente na medida em que consiga tornar visível e concreta a sua vocação de amor e serviço, ela pode esperar ser escutada e respeitada". O crescimento da igreja tem de estar vinculado ao serviço ou amor ao próximo. O apóstolo Tiago, falando sobre o papel social da igreja, afirma que a fé sem obras é morta, 2: 17. A Igreja está no mundo para ser social, ou seja, evangelização e responsabilidade social caminham de mãos dadas. Isto é fundamental no Crescimento Integral do Corpo de Cristo.

É hora de uma conscientização social em nossas igrejas. O aspecto interno da igreja tem de gerar atitudes práticas para com o próximo. A Igreja Primitiva cantava, orava, pregava a Palavra, mas vivia a dimensão diaconal - repartia o pão. Desta forma, os pastores e lideranças em geral das Igrejas Locais poderão lançar projetos sociais junto às suas comunidades. Neste sentido, a igreja tem de ser liberal.
 

Crescimento conceitual

O crescimento conceitual está relacionado à fé e à identidade da Igreja - o que determina o seu nível de maturidade cristã. Ele pode ser definido pela expansão da "inteligência da fé", isto é, "o grau de consciência que a comunidade eclesial (igreja) tem a respeito de sua existência e razão de ser, sua compreensão da fé cristã, seu conhecimento da fonte dessa fé (as Escrituras), sua interação com a história dessa fé e sua compreensão do mundo que a rodeia". A igreja precisa saber por que ela existe.

É importante relembrar que Atos 2: 42, afirma que a igreja primitiva perseverava na doutrina dos apóstolos (na doutrina da fé) e na comunhão, no partir do pão e nas orações. Fica evidente nesta passagem bíblica o grau de espiritualidade que essa igreja usufruía. Quer dizer: os crentes sabiam por que eram cristãos. O conhecimento dessas verdades tem uma "relação estreita com o discernimento do lugar da igreja na sociedade", tornando-se indispensável ao crescimento conceitual do Corpo de Cristo.

É por esta razão que a Igreja Primitiva possuía um conceito prático da vida de oração: "Tendo eles orado, tremeu o lugar onde estavam reunidos; todos ficaram cheios do Espírito Santo, e, com intrepidez, anunciavam a Palavra de Deus", At 4: 312. Havia nessa Igreja uma preocupação constante para com a Palavra de Deus, a fé, a oração e a obediência ao Senhor. É desse conceito que todos precisamos ter diante de Deus. O apóstolo Paulo tinha razão quando disse: "[...] porque eu sei em que tenho crido, e estou bem certo de que Ele é poderoso para guardar o meu depósito até aquele dia", 2 Tm 1: 12.

Em outras palavras, o apóstolo não está falando de opinião formada, mas de convicções cristãs (ou conhecimento da fé) fundamentadas nas Sagradas Escrituras. Uma opinião poderá ser mudada, mas uma convicção bíblica permanece como prova de um amadurecimento cristão. Os pastores e lideranças da Renovada precisam ter esta graça divina para conduzir o rebanho do Senhor Jesus.
 

Crescimento numérico

O crescimento numérico ou quantitativo parece ser o tudo da Igreja. Deus criou o homem para crescer. Ninguém quer ficar pequeno para o resto da vida. Com a igreja não é diferente. Deus determinou seu crescimento. Sua expansão é uma necessidade. Neste caso, o crescimento numérico está ligado à salvação de pecadores - novos crentes que são vinculados ao rol de membros da igreja. É "a reprodução que o povo de Deus experimenta ao proclamar o evangelho, chamando homens e mulheres ao arrependimento de seus pecados e à fé em Jesus Cristo como Senhor e Salvador de suas vidas [...]".

A Igreja Primitiva começou com um pequeno grupo de pessoas que se reunia no Cenáculo, At 1: 14. Esse grupo cresceu para 120, At 1: 15. Na seqüência, o número de salvos chegou a 3000, At 2: 41, e, mais tarde, o número chegou a quase 5000 salvos, At 4: 4. A cada dia a igreja ia se multiplicando, At 6: 7. É maravilhoso ler estes textos e ver como esses irmãos levavam a sério o crescimento numérico da obra de Deus.

Percebe-se que este fenômeno estar ligado à qualidade, porque os que iam se unindo a essa Igreja eram ensinados e doutrinados na fé cristã. Esses cristãos estavam voltados a um crescimento equilibrado - de igual para igual. Havia entre eles uma disposição para com a adoração, compromisso com o próximo, consciência cristã (doutrina da fé) e preocupação com os perdidos. Tudo isto revela que ela era comprometida com o Reino de Deus. Por isso, era forte e abençoada.

Encerrando, como lições a serem praticadas, destaquemos três pontos importantes como desafios contínuos da IPRB para este novo triênio de administração:

a) O Crescimento Integral consiste num crescimento equilibrado. Portanto, não pode haver preferência por uma das dimensões. É preciso tomar cuidado para não enfatizar uma determinada estratégia ou plano e lançar no esquecimento outras atividades.

b) Se houver prioridade ou preferência para com uma das dimensões, a igreja correrá o risco de perder sua identidade. Portanto, comunhão, serviço, fé e número (quantidade) são inseparáveis no processo do Crescimento Integral.

c) A IPRB não pode se dar por satisfeita "enquanto toda a humanidade não tenha tido uma oportunidade razoável de escutar e responder ao evangelho". É preciso unir as forças para promover o Crescimento Integral dessa denominação.

Que Deus abençoe a todos. Fiquemos com as palavras do profeta Isaías: "Um ao outro ajudou e ao seu companheiro disse: esforça-te", 41: 6.

........................

Fonte: Jornal Aleluia de junho de 2004.

 
 
 O que você gostaria de fazer?    
 
 

Direitos autorais

Este artigo pode ser reproduzido livremente
para fins pessoais, sendo, porém, vedada sua publicação
sem autorização formal da Editora Aleluia.

 
 

Igreja Presbiteriana Renovada do Brasil - Fones (44) 3262-8332 ou 3262-9438 - Cx. Postal 504 - 87001-970 - Maringá, PR - Brasil.